Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 24/02/2020.
 
 
CRÓNICA DO FESTIVAL DA GRANJA
CRÓNICA DO FESTIVAL DA GRANJA
09 de Fevereiro de 2020

Casa composta para mais um festival de inicio de temporada

Decorreu na tarde de 8 de Fevereiro o já tradicional Festival Taurino da Granja com uma casa praticamente cheia, apesar de uma semana antes, a poucos quilómetros de distância, a praça de Mourão ter esgotado. O cartel anunciado sofreu uma pequena alteração relativamente aos novilhos lidados, que, em vez de 6 da Ganadaria Ribeiro Telles, passaram a ser 3 desta ganadaria e 3 da Quinta de Mata-O-Demo. Três cavaleiros já conceituados fizeram parte deste festejo taurino: Rui Fernandes, Filipe Gonçalves e João Ribeiro Telles. A segunda parte foi uma lufada de ar fresco para a tauromaquica com Paco Velasquez a estrear-se em Portugal no toureio a cavalo, Duarte Fernandes, que prestou provas de cavaleiro praticante, e o cavaleiro amador Tristão Ribeiro Telles. As pegas ficaram à responsabilidade do GFA de São Manços, Real Grupo de Forcados Amadores de Moura e o GFA de Safara. Dirigiu o evento o delegado técnico tauromáquico Domingos Jeremias, assessorado pelo médico veterinário Matias Guilherme.

Rui Fernandes andou regular durante a sua faena, abrindo a tarde com o Jaguar. Com o H.Quiebro conseguiu bons ferros curtos, rematando as suas sortes com piruetas. Compreendeu bem o seu oponente e teve, assim, um bom inicio de temporada. Teve direito a música e volta ao ruedo. A pega deste “Mata-O-Demo” ficou a cargo do grupo mais antigo, GFA de São Manços, e, apenas foi pegado à sexta tentativa, a sesgo. Concretizou João Fortunato após tentativas de Sérgio Passos e Pedro Galhardo (que saiu lesionado com uma tripla fratura na perna).

Filipe Gonçalves teve um início um pouco irregular, tendo dificuldades em entender o novilho que lhe saiu em sorte, chegando a sofrer um violento toque à garupa do cavalo. Nos curtos conseguiu melhorar cravando alguns ferros de bom tom. Pelo Real Grupo de Forcados Amadores de Moura concretizou a pega João Pereira ao terceiro intento após dobrar Luís Bate.

João Ribeiro Telles foi o grande triunfador desta tarde de Inverno cravando excelentes ferros de praça a praça e com leves batidas ao piton contrário. Pôs a praça de pé para o aplaudir após um excelente ferro cravado ao estribo. Teve direito a música e a volta à arena, como seria de esperar. Pelo GFA de Safara, concretizou esta terceira pega, ao primeiro intento, o forcado André Tareco.

Após um intervalo um pouco desnecessário, visto que o festival já tinha começado com alguns minutos de atraso, entrou na arena Duarte Fernandes, que prestou provas de cavaleiro praticante frente a um “Ribeiro Telles”. Começou bem com o Infante nos compridos, e, nos curtos, apesar de alguns ferros um pouco descaídos, conseguiu cravar bons ferros, após batidas ao piton contrário, chegando mesmo a entrar em terrenos do toiro, arriscando bastante com o Chanel. Pelo GFA de São Manços, concretizou ao primeiro intento Manuel Trindade.

Paco Velasquez, a grande atração da tarde, andou bem durante a sua lide, apesar de um pouco acelerado. Conseguiu cravar bons ferros, rematando as suas sortes com piruetas. Foi uma boa estreia no seu país, podendo esta lide ter aberto portas ao jovem cavaleiro. Pegou este exemplar o forcado Luís Branquinho do RGFA de Moura à primeira tentativa.

Ao inicio da última lide da tarde a chuva começou a cair, o que provocou uma saída em massa do publico, uma grande falta de respeito para Tristão Ribeiro Telles, que enfrentou um “Ribeiro Telles” com classe e ganas de se afirmar. Conseguiu cravar bons ferros e teve direito a música durante a sua lide. Pegou este último novilho, o forcado Nelson Ramos, do GFA de Safara ao primeiro intento.

ANA SILVA