Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 23/10/2018.
 
 
ESTA QUINTA FEIRA O CAMPO PEQUENO RECEBE A ULTIMA CORRIDA DA TEMPORADA
ESTA QUINTA FEIRA O CAMPO PEQUENO RECEBE A ULTIMA CORRIDA DA TEMPORADA
08 de Outubro de 2018

Tradicional corrida à antiga portuguesa com todo o seu esplendor

Marcelo Mendes repete no Campo Pequeno, na Corrida de Gala

O cavaleiro Marcelo Mendes actuará dia 11 de Outubro, no Campo Pequeno, na Corrida de Gala à Antiga Portuguesa, em consequência do triunfo aqui obtido na corrida de oportunidade a cavaleiros, realizada a 21 de Junho.

Marcelo Mendes é um jovem em busca de um triunfo que lhe permita "voar" para o lugar de destaque a que aspira. A 21 de Junho destacou-se claramente entre os seus alternantes e conquistou, por direito próprio, um lugar na corrida mais carismática da temporada, com a qual se encerra o Abono de 2018. A crítica destacou a sua entrega e a grande conexão com as bancadas. Soube entender o touro, escolheu bem os terrenos, optou por dar vantagem ao oponente na cravagem dos ferros e rematou bem as sortes. Galvanizou as bancadas da arena lisboeta e, em suma, aproveitou a oportunidade.

Tendo tomado a Alternativa a 8 de Maio de 2011, em Vila Franca de Xira, concedida por Luís Rouxinol, sob o testemunho de Vítor Ribeiro, com toiros de Canas Vigouroux, pegados pelos grupos de forcados amadores de Santarém e de Vila Franca, confirmou a alternativa no Campo Pequeno a 20 de Junho de 2013, das mãos de Sónia Matias.

Na sua segunda apresentação no Campo Pequeno, na temporada de 2018, Marcelo Mendes terá por alternantes os cavaleiros António Ribeiro Telles, Rui Salvador, Rui Fernandes, Francisco Palha e Miguel Moura, numa corrida em que serão lidados seis imponentes toiros da ganadaria Passanha. Pegam os grupos de forcados amadores de Lisboa e do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, capitaneados respectivamente por Pedro Maria Gomes e Marcelo Lóia.

A Corrida de Gala à Antiga Portuguesa constitui sempre para além do natural espectáculo tauromáquico, um repositório da história das corridas de toiros, pois é antecedida de um cortejo evocativo das Touradas Reais do século XVIII, com cerca de sessenta figurantes vestidos à época.

 

Francisco Palha: Quinta-feira no Campo Pequeno para referendar uma temporada de triunfos

Francisco Palha, apontado no meio taurino como grande triunfador da temporada, actua esta quinta-feira, no Campo Pequeno, com o objectivo de confirmar o grande momento artístico que atravessa. A reforçar a importância desta sua segunda participação na temporada de 2018 no Campo Pequeno, está o facto de a corrida ser uma das mais importantes do calendário lisboeta, a Corrida de Gala à Antiga Portuguesa.

Define-se como "um lutador, um homem de fé, um homem amigo do seu amigo, que sonha fazer as pessoas felizes com o seu tipo de toureio!  No seu dia-a-dia confessa ter "péssimo acordar e com mau feitio", mas contrapõe o culto pela perfeição em tudo o que faz. Adora a verdade e os seus amigos. E conclui na primeira pessoa: "Tenho milhares de defeitos… e rezo todos os dias para ser melhor!".

O cartel da corrida é composto pelos cavaleiros António Ribeiro Telles, Rui Salvador, Rui Fernandes, Francisco Palha, Marcelo Mendes e Miguel Moura. Serão pegados pelos grupos de forcados Amadores de Lisboa e do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, capitaneados respectivamente por Pedro Maria Gomes e Marcelo Lóia.

Serão lidados seis imponentes toiros da ganadaria Passanha, grande triunfadora da corrida de gala de 2017.

A corrida será antecedida do desfile do cortejo histórico evocativo das Touradas Reais do século XVIII.

 

Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, quinta-feira na corrida de Gala

O Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, actua esta quinta-feira, no Campo Pequeno, na corrida de encerramento do Abono, de Gala à Antiga Portuguesa, pegando três dos seis toiros de magnífico trapío, da ganadaria Passanha.

Terceiro em antiguidade de entre os grupos de forcados portugueses, O Grupo de Forcados Amadores de Lisboa surgiu em 1943, por iniciativa de Nuno Salvação Barreto. Nesse ano, apenas pegaram em festivais, só o fazendo formalmente, a 14 de Agosto de 1944, em Cascais. A partir daí, as actuações do Grupo dos Amadores de Lisboa foram conquistando um prestígio cada vez maior, que adquiriu carácter universal quando, em 1951, participou em Roma nas filmagens de “Quo Vadis?”, em que Nuno Salvação Barreto, encarnando a personagem de Brutus, pegou um toiro de Infante da Câmara, em hastes limpas. O Grupo de Lisboa estreou-se em Espanha, em Sevilha, na feira de Abril de 1950, em Pamplona, em 1970 e, nos anos de 1979 e, em 1980, apresentou-se na Feira de Santo Isidro, em Las Ventas (Madrid). De 1992 a 2010, o Grupo de Forcados Amadores de Lisboa foi capitaneado por José Luís Gomes, sucedendo-lhe seu filho, o actual cabo, Pedro Maria Gomes, em 8 de Abril de 2010. Carlos Patrício Álvares, um dos fundadores do grupo, no seu livro “Pega de Caras” escreveu: “Tinham tudo o que um Grupo de Forcados precisa para triunfar. O seu arranque e implantação no meio tauromáquico provaram o seu valor. Desbravaram mato. Derrubaram barreiras e venceram.”

Com o Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, competirá o seu homólogo do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, capitaneados por Marcelo Lóia. Em praça estarão os cavaleiros António Ribeiro Telles, Rui Salvador, rui Fernandes, Francisco Palha, Marcelo Mendes e Miguel Moura.

A Corrida inicia-se com o cortejo histórico evocativo das Touradas Reais do século XVIII.

O cartel da corrida é composto pelos cavaleiros António Ribeiro Telles, Rui Salvador, Rui Fernandes, Francisco Palha, Marcelo Mendes e Miguel Moura. Serão pegados pelos grupos de forcados Amadores de Lisboa e do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, capitaneados respectivamente por Pedro Maria Gomes e Marcelo Lóia.