Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 15/12/2018.
 
 
ATAQUE PREPARADO NAS TRINCHEIRAS DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
ATAQUE PREPARADO NAS TRINCHEIRAS DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
06 de Dezembro de 2018

A verdade escondida

A tauromaquia GANHOU e o IVA está nos 6%, mas já se trabalha “à esquerda” e em surdina numa proposta para que nas corridas de toiros em vez de se ferrar o toiro, se coloquem ferros com velcro. Esta é a técnica utilizada em países como o Canadá. Só não sabemos se a proposta será apresentada nesta legislatura ou na próxima. Admitamos que em Portugal, se esta proposta não for chumbada na Assembleia da República, a nossa Tauromaquia ficará desvirtuada.

Foi com enorme tristeza que ouvi as palavras da Ministra da Cultura:”Não é uma questão de gosto, é uma questão de civilização!”

Falhada a proibição das touradas, que o Parlamento chumbou a 6 de julho, o deputado do PAN, André Silva, afirmou, que o partido vai continuar a lutar pela abolição das touradas e a insistir no fim da isenção de IVA para artistas tauromáquicos. Neste momento sabemos que André Silva após a frustração do passado dia 28 de novembro, já trabalha em alternativas para desvirtuar e consequentemente acabar com a Tauromaquia em Portugal. Aliás André Silva até aplaudiu de pé a Senhora da Cultura quando esta afirmou os seus gostos pessoais, ao invés da cultura do meu País! E isto num parlamento quer dizer muito!

Toureiros, bandarilheiros, cavaleiros, novilheiros e forcados, estes são os seus principais alvos numa campanha lançada contra a Festa Brava.

Sendo que “a corrida de toiros à portuguesa constituiu uma manifestação singular e de originalidade da cultura lusa” (ERC); no meu País não podem haver artistas de primeira e artistas de segunda!

Os partidos políticos não podem ter duas faces; ora vejamos, PS e/ou Bloco de Esquerda, por exemplo, no meu concelho, em Salvaterra de Magos faziam-se e fazem-se representar pelos seu líderes nas largadas da vila e até nas corridas de toiros da nossa praça, mas depois na Assembleia da República CONTINUAM A REPUDIAR, aquilo que faz parte da nossa génese, da nossa cultura e das nossas tradições.

E um País sem cultura é um País sem identidade!

Não nos esqueceremos das palavras da Senhora Ministra da Cultura e de todas as vezes que o Bloco de Esquerda, o PEV e o PAN, durante esta legislatura na Assembleia da República, tentam de todas as maneiras e feitios acabar com a nossa "Festa Brava" e consequentemente tentam acabar com todas as actividades económicas subjacentes à Tauromaquia!

Aos deputados que em surdina já preparam o próximo passo contra as corridas de touros tentem aprender, se fizerem o favor, a respeitar todos aqueles que de forma mais directa ou indirectamente amam e defendem a festa brava, afinal vivemos, não numa ditadura de gostos, mas sim numa democracia!

AFINAL O RESPEITO E A LIBERDADE TAMBÉM SÃO CULTURA!

Defenderemos novamente a nossa cultura, as nossas tradições e a liberdade do "zapping”; porque vamos ter de explicar, por exemplo, ao Senhor Deputado do PAN que há mais telespectadores a verem as Corridas de Toiros na RTP, do que eleitores que votaram nele nas últimas eleições legislativas; referindo até que há diariamente vários programas violentos desde o ponto de vista da violência física, à violência psicológica... Ultrajando pelo meio a dignidade moral e ética dos intervenientes e dos telespectadores, sendo que isso para a Senhora Ministra da Cultura provavelmente já não será uma temática relevante e civilizacional...

Explicitaremos que numa corrida de toiros o Respeito e a Disciplina revelam-se a cada minuto e que a Amizade entre pares são valores que se defendem na máxima "um por todos e todos por um", sempre que um forcado salta para a arena.

Um Grupo de Forcados pauta-se por valores como a Amizade, respeito, disciplina, união, rigor e compromisso. Os Grupos de forcados são no fundo escolas de transmissão de elevados valores éticos e morais.

Porque é preciso dar a cara, sem medos, na defesa daquilo que acreditamos e que está na génese da matriz identitária do (nosso) e do MEU PAÍS!

A Festa Brava tem milhões de pessoas que afluem às praças de toiros e às largadas do nosso País e que o fazem com calma, dignidade e respeito, sem disseminarem ódios sobre quem pensa de forma diferente.

Vivemos num País aonde a liberdade de escolha deve estar presente; ao invés do proibicionismo que esta esquerda quer impor. Cada pessoa deve realizar os seus gostos e viver a verdadeira cultura do seu País, segundo a sua vontade.

Já chega de ataques e de hipocrisia! Porque eu nunca vi um toureiro ou um forcado a ofender e a maltratar um toiro por muitas cornadas que leve!

A Festa Brava tem um código próprio, aonde há um profundo respeito pelo toiro bravo. Somos românticos, somos aficionados, somos orgulhosos e somos PORTUGUESES!

Isabel Margarida Coelho