Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 23/11/2017.
 
 
IMAGENS DA CORRIDA DE TOIROS EM ESTREMOZ
IMAGENS DA CORRIDA DE TOIROS EM ESTREMOZ
04 de Setembro de 2017



Comemoração dos 55 anos de alternativa do cavaleiro José Maldonado Cortes

Corrida comemorativa dos 55 anos de alternativa do cavaleiro José Maldonado Cortes

Integrada nas festas da Exaltação de Santa Cruz, em Estremoz, decorreu como já vem sendo habitual, um evento taurino. Desta vez, com um atrativo especial pois  seria naquela corrida de toiros que seria feita a devida homenagem ao cavaleiro da terra, José Maldonado Cortes pelos seus 55 anos de alternativa. O cartel era composto por: João Moura, Francisco Cortes, Miguel Moura e Francisco Maldonado Cortes. As pegas estiveram a cargo dos Amadores de Évora, Alter do Chão e Monforte. Os toiros eram da ganadaria Mata o Demo (antiga ganadaria do cavaleiro João Moura) e o novilho da ganadaria Maria Guiomar Cortes de Moura. A corrida foi dirigida pelo senhor Marco Lopes. 

De referir que o cavaleiro José Maldonado Cortes saiu à praça montado a cavalo, para participar nas cortesias.

Praça lotada para assistir ao espetáculo, iniciou a sua lide o cavaleiro João Moura, lidando um exemplar com 490 kg, bastante reservado. O cavaleiro teve uma lide correta, cravou 2 compridos com verdade. Trocou de montada e cravou ferros com emoção. 

José Passanha, pelos amadores de Évora pegou este primeiro toiro da noite. Citou de largo e o grupo reuniu coeso, resultando numa pega sem grandes dificuldades.

Seguiu-se Francisco Cortes, a quem coube lidar um exemplar com 514kg. O cavaleiro teve uma lide regular, escutou a música e cravou, frente ao estribo, um grande ferro.

Para a cara deste toiro foi o forcado Marco Pires, pelos amadores de Alter do Chão, este  toiro arrancou com muita pata e tirou a cara. Pelo que a pega só foi consumada à quarta tentativa com primeira ajuda carregada. 

Volta à Praça com forte ovação para o Cavaleiro José Maldonado Cortes.

O terceiro da noite foi lidado pelo cavaleiro Miguel Moura ,um toiro com 495 kg. Iniciou a lide com um grande ferro, trocou de montada e continuou muito bem, tanto a cravar nos curtos como nos compridos. A sua prestação resultou assim, numa lide muito bem conseguida, tendo facilmente conseguido chegar às bancadas. 

Por Monforte foi a Ricardo Gonçalez, forcado estremocense,  a quem coube pegar este terceiro da noite. Embora o toiro tenha arrancado com muita pata, o forcado fechou-se bem e o grupo reuniu coeso, tendo a pega sido assim consumada ao primeiro intento. 

Ao estreante Francisco Maldonado Cortes, estava destinado um novilho com 380 kg. Nos curtos cravou sem grandes dificuldades. De realçar, um comprido que cravou com emoção.

Pegou Rui Bento pelos amadores de Évora, numa pega limpa e sem grandes dificuldades, à primeira tentativa. 

Seguiu-se o cavaleiro João Moura a quem calhou em sorte um exemplar desta ganadaria com 453 kg. Um toiro que andou distraído, muito reservado e com uma grande querença às tábuas. Nesta lide o cavaleiro esteve correto mas não conseguiu chegar ao público. 

Os amadores de Évora brindaram esta pega ao matador espanhol presente em praça, José Garrido.

Foi cara Francisco Abreu, o grupo reuniu bem e a pega foi consumada à primeira tentativa.

Francisco Cortes lidou o quinto toiro da noite, um toiro reservado e com 440 kg. Andou regular e através dos compridos conseguiu chegar melhor ao público. 

Pelos amadores de Alter do Chão, foi cara o forcado Filipe Ribeiro, que não consumou à primeira tentativa, em virtude de ter sofrido um forte derrote nesse primeiro intento, pelo que a pega só foi à segunda.

Finalmente, o cavaleiro Miguel Moura, que esteve perante um exemplar com 504 kg, um toiro com mais raça que os restantes daquele curro, mas ainda assim, meio distraído. Miguel recebeu-o porta gaiola e cravou um grande ferro. Nos curtos, a cravar muito bem e a chegar com facilidade ao público. Boa nota para os seus ladeios.

A lide de Miguel resultou assim numa lide correta e com grande emoção. Terá sido esta última lide, de Miguel Moura, a melhor da noite.

Para a cara deste toiro foi, pelos amadores de Monforte, Henrique Teixeira. Brindaram a pega ao cavaleiro Joaquim Bastinhas. 

O toiro não ofereceu grandes dificuldades, pega consumada ao primeiro intento. 

Tanto os cavaleiros como os  forcados brindaram as suas lides e pegas, respetivamente,  a José Maldonado Cortes.

José Maldonado Cortes estreou-se na Praça da sua terra,  Estremoz, a 1 de março de 1954, tendo recebido a sua alternativa, pelo seu padrinho, Pedro Louceiro, a 22 de abril de 1962, na Praça de Toiros do Campo Pequeno.

Estremoz conseguiu assim, ter casa cheia, o que demonstra que as gentes aficionadas daquela cidade estão bem vivas, e com o desejo de poder  receber mais vezes,  espetáculos taurinos na sua terra.

Crónica e fotos de Joana Leão Selorindo